© 2021 Scaled Agile, Inc. All rights reserved.

Evolving the Scaled Agile Framework:

Update to SAFe 5

Guidance for organizing around value, DevSecOps, and agility for business teams

Learn more

Clear explanations and actionable guidance

SAFe Distilled 5.0

SAVE 35% WITH CODE SCALEDAGILE

ORDER NOW

SAFe Glossary

The SAFe glossary is a set of definitions for all SAFe Big Picture elements.  The extended glossary provides definitions for additional terms used in the Framework. Some are unique to SAFe (e.g., PO Sync), while others are common in Lean-Agile development (e.g., MVP). They are provided here for clarity in their meaning in the context of SAFe. All extended glossary terms appear in the English configuration and will appear in other language configurations once translated.

Author

A

  • Acceptance Criteria (Critérios de Aceitação)

    Os Critérios de Aceitação fornecem as informações necessárias para garantir que uma história, feature ou capability sejam implementadas corretamente. Eles abrangem a funcionalidade e os NFRs relevantes.

  • Acceptance Test Driven Development

    O Acceptance Test-Driven Development é uma prática de testes ágeis, exercitada através de testes antecipados, sendo também um sinônimo para Desenvolvimento Orientado a Comportamento (BDD).

  • Agile (Ágil)

    O Ágil é um conjunto de valores, princípios e práticas para desenvolvimento iterativo, sendo mais comumente descrito pelo Manifesto Ágil.

  • Agile Manifesto (Manifesto Ágil)

    O Manifesto Ágil é o principal documento que descreve os quatro valores e os doze princípios do desenvolvimento de software ágil.

  • Agile Product Delivery

    Agile Product Delivery é uma abordagem centrada no cliente para definir, criar e entregar um fluxo contínuo de produtos e serviços valiosos para clientes e usuários.

  • Agile Program Management Office (Escritório de Gestão de Projetos Ágeis)

    O Escritório de Gestão de Projetos Ágeis (APMO) é uma função organizacional responsável por facilitar o processo de Lean Portfolio Management e por promover a excelência operacional e a governança Lean como parte de uma transformação Lean-Agile.

  • Agile Release Train, ART

    Agile Release Train (ART) é um time de times ágeis de longa duração que, junto de outros stakeholders, desenvolvem, entregam e, quando aplicável, operam, de forma incremental uma ou mais soluções em uma cadeia de valor.

  • Agile Team (Time Ágil)

    No SAFe, um time ágil é um grupo multifuncional de cinco a onze indivíduos que define, constrói, testa e entrega um incremento de valor em um curto espaço de tempo.

  • Architect Sync (Sincronização dos Arquitetos)

    A Sincronização dos Arquitetos é um evento do Solution Train. Seu objetivo é assegurar a consistência na forma como designs emergentes e negociações são gerenciados através do Solution Train, criando oportunidades frequentes para guiar as diferentes abordagens de implementação, sem que isso se torne uma fonte de atrasos.

  • Architectural Runway

    Architectural Runway consiste nos códigos existentes, componentes e na infraestrutura técnica necessária para implementar features de curto prazo, sem atraso ou retrabalho de design excessivos.

  • ART Sync (Sincronização do ART)

    A Sincronização do ART é um evento do ART que combina a Product Owner (PO) Sync e o Scrum of Scrums (SoS).

B

  • Backlog Refinement (Detalhamento do Backlog)

    O Detalhamento do Backlog é uma atividade que ocorre uma ou duas vezes durante a iteração ou o incremento, com a finalidade de discutir, estimar e estabelecer uma compreensão inicial dos critérios de aceitação de futuras histórias no Team Backlog.

  • Baseline Solution Investments, BSIs (Linha de Base dos Investimentos em Soluções)

    Linha de Base dos Investimentos em Soluções (BSI) são os custos incorridos em cada cadeia de valor durante o desenvolvimento, o suporte e a operação das soluções que fornecem as atuais capabilities de negócios.

  • Batch Size (Tamanho do Pacote de Trabalho)

    Tamanho do Pacote de Trabalho é uma medida de volume de trabalho (requisitos, designs, código, testes e outros itens de trabalho), que é inserido no sistema durante um timebox determinado.

  • Behavior-Driven Development (Desenvolvimento Orientado a Comportamento)

    O Desenvolvimento Orientado a Comportamento (BDD) é uma prática de teste ágil, cujos testes antecipados fornecem um alto nível de qualidade desde o início, ao definir (e, potencialmente, automatizar) os testes antes da especificação do comportamento do sistema ou durante essa etapa.

  • Benefit Hypothesis (Hipótese de Benefício)

    Hipótese de Benefício é o benefício mensurável proposto para o usuário final ou para a empresa como parte de uma feature ou capability.

  • Big Visible Information Radiator, BVIR (Quadro de Compartilhamento de Informações)

    Um Quadro de Compartilhamento de Informações (BVIR) é uma exibição gráfica, que serve para uma rápida visualização dos dados (por exemplo, gráficos de burn-down, o Program Board e os Build Status Boards).

  • Built-In Quality (Qualidade Embutida)

    As práticas de qualidade embutida asseguram que cada elemento da solução, em cada incremento, atenda aos padrões adequados de qualidade ao longo do desenvolvimento.

  • Burn-Down (Burn-Up) Chart (Gráfico de Burn-Down (Burn-Up))

    Os gráficos de Burn-Down (Burn-Up) são exibições gráficas que mostram o progresso do trabalho em relação ao tempo.

  • Business Agility

    Business Agility é a capacidade de competir e prosperar na era digital, respondendo rapidamente às mudanças do mercado e oportunidades emergentes com soluções de negócios inovadoras e preparadas para o mundo digital.

  • Business and Technology (Negócios e Tecnologia)

    O ícone "Business and Tecnology" no SAFe descreve como os domínios funcionais em todas as partes da empresa habilitam a agilidade nos negócios, explorando continuamente novas maneiras de aplicar os princípios e práticas Lean-Agile a seus contextos únicos.

  • Business Context (Contexto do Negócio)

    O Contexto do Negócio é um item da agenda de PI Planning apresentado por um Business Owner que descreve o estado atual do negócio, compartilha o Portfolio Vision e apresenta uma perspectiva da eficiência com que as soluções existentes estão atendendo às atuais necessidades dos clientes.

  • Business Owners

    Os Business Owners são um pequeno grupo de stakeholders que têm a principal responsabilidade do negócio e técnica com relação à governança, compliance e retorno sobre investimento (ROI) de uma solução desenvolvida por um Agile Release Train (ART). Eles são os principais stakeholders no ART que devem avaliar a adequação ao uso e participar ativamente de determinados eventos do ART.

C

  • CALMR

    A abordagem CALMR do SAFe para DEVOPS é um mindset que orienta os ARTs em direção à entrega contínua de valor, gerenciando avanços simultâneos na cultura de entrega, automação, fluxo Enxuto (Lean), medição e recuperação.

  • Capabilities

    Uma Capability é um comportamento de solução de alto nível que geralmente abrange vários ARTs. As Capabilities são dimensionadas e divididas em várias features para facilitar sua implementação em um único PI.

  • Capacity Allocation (Capacidade Alocada)

    A Capacidade Alocada é um Lean Budget Guardrail para backlogs que ajuda a equilibrar o backlog de novas features, habilitadores e débitos técnicos alocados a um futuro Program Increment (PI).

  • Committed PI Objectives (Objetivos do PI Acordados)

    Os Objetivos do PI Acordados são um conjunto de objetivos SMART criados por cada time, no qual o valor para o negócio é atribuído pelos Business Owners.

  • Communities of Practice, CoPs (Comunidades de Práticas)

    Comunidades de práticas (CoPs) são grupos organizados de pessoas que têm um interesse comum em um domínio técnico ou de negócio específico. Elas colaboram regularmente para compartilhar informações, aprimorar suas habilidades e trabalhar ativamente na promoção do conhecimento geral do domínio.

  • Compliance

    Compliance se refere a uma estratégia e a um conjunto de atividades e artefatos que permitem que os times apliquem métodos de desenvolvimento Lean-Agile para criar sistemas que tenham a mais alta qualidade possível e, ao mesmo tempo, assegurem que atenderão a qualquer norma regulatória, industrial ou outros padrões relevantes.

  • Confidence Vote (Voto de Confiança)

    O Voto de Confiança é feito próximo ao final do PI Planning, quando os times votam quanto à sua confiança de que os Objetivos do PI serão atingidos.

  • Continuous Delivery Pipeline, CDP

    O Continuous Delivery Pipeline (CDP) representa os fluxos de trabalho, atividades e automação necessários para guiar um novo item de funcionalidade da concepção à entrega de valor sob demanda para o usuário final.

  • Continuous Deployment, CD

    Continuous Deployment (CD) é o processo que leva Features validadas em um ambiente de homologação e as implanta no ambiente de produção, no qual elas ficam prontas para lançamento(release).

  • Continuous Exploration, CE

    Continuous Exploration (CE) é o processo que impulsiona a inovação e promove o alinhamento com o que deve ser construído, explorando continuamente as necessidades do mercado e do cliente, e definindo uma visão, um Roadmap e um conjunto de Features para uma solução que atenda a essas necessidades.

  • Continuous Integration, CI

    Continuous Integration (CI) é o processo de puxar features do Program Backlog e desenvolver, testar, integrar e validá-las em um ambiente de homologação, no qual elas estarão prontas para implantação e release.

  • Continuous Learning Culture

    A competência Continuous Learning Culture descreve um conjunto de valores e práticas que estimula indivíduos – e a organização como um todo – a aumentar continuamente o conhecimento, as competências, o desempenho e a inovação.

  • Core Values (Valores Fundamentais)

    Os quatro valores fundamentais de alinhamento, qualidade embutida (built-in quality), transparência e execução de programa representam as crenças fundamentais que são essenciais para a eficácia do SAFe. Esses princípios orientadores ajudam a ditar o comportamento e as ações de todos que participam de um portfólio SAFe.

  • Cost of Delay (Custo da Não Entrega ou Atraso)

    O Custo da Não Entrega ou Atraso representa o dinheiro ou valor que será perdido com o atraso ou a não execução de um trabalho por um determinado tempo. É utilizado na priorização do WSJF.

  • Customer (Cliente)

    Os clientes são os principais beneficiários do valor das soluções de negócios criadas e mantidas pelas cadeias de valor do portfólio.

  • Customer Centricity (Centralização no Cliente)

    A Centralização no Cliente é um mindset e uma maneira de fazer negócios focada na criação de experiências positivas para o cliente por meio de todo o conjunto de produtos e serviços que a organização oferece.

  • Customer Journey Map (Mapa da Jornada do Usuário)

    Um Mapa da Jornada do Usuário ilustra as experiências de um usuário com a cadeia de valor operacional, os produtos e os serviços de uma empresa.

D

  • Daily Stand-Up (Reunião Diária)

    A Reunião Diária (DSU) é um evento diário do time no qual cada membro descreve o que fez no dia anterior para avançar nas metas da iteração, no que vai trabalhar no dia atual para atingir as metas da iteração e quais bloqueios está encontrando para entrega dessas metas.

  • Definition of Done (Definição de Pronto)

    A Definição de Pronto comunica a conclusão de um incremento de valor e cria uma compreensão compartilhada de qual trabalho foi concluído como parte de um incremento.

  • Design Thinking

    Design Thinking é um processo de desenvolvimento centrado no cliente que cria produtos desejáveis que são rentáveis e sustentáveis ao longo de seu ciclo de vida.

  • Develop on Cadence (Desenvolver em Cadência)

    Desenvolver em Cadência refere-se a um conjunto coordenado de práticas que dão suporte aos Times Ágeis fornecendo uma série confiável de eventos e atividades que ocorrem em uma agenda regular e previsível.

  • Development Value Streams (Cadeias de Valor de Desenvolvimento)

    As cadeias de valor de desenvolvimento (CVD) são a sequência de atividades necessárias para converter uma hipótese de negócio em uma solução habilidada digitalmente. Os exemplos incluem o projeto de um dispositivo médico ou satélite geofísico ou o desenvolvimento e implantação de um aplicativo de software, sistema SaaS, ou um site de comércio eletrônico.

  • DevOps

    DevOps é um mindset, uma cultura e um conjunto de práticas técnicas. Ele fornece comunicação, integração, automação e cooperação próxima entre todas as pessoas necessárias para planejar, desenvolver, testar, implantar, liberar e manter uma solução.

E

  • Empathy Map (Mapa de Empatia)

    Um Mapa de Empatia é uma ferramenta de Design Thinking que ajuda os times a desenvolver uma compreensão profunda e compartilhada de seus clientes.

  • Enablers (Habilitadores)

    Um habilitador suporta as atividades necessárias para ampliar a Architectural Runway a fim de prover funcionalidades de negócio futuras. Isso inclui a exploração, arquitetura, infraestrutura e conformidade. Habilitadores são capturados nos diversos backlogs e aparecem ao longo do Framework.

  • Enterprise (Organização)

    A organização representa a entidade corporativa à qual cada portfólio SAFe pertence.

  • Enterprise Architect

    O enterprise architect estabelece uma estratégia de tecnologia e um roadmap que habilita um portfólio a suportar as capabilities de negócios atuais e futuras.

  • Enterprise Solution Delivery

    A competência Enterprise Solution Delivery descreve como aplicar os princípios e práticas Lean-Agile à especificação, desenvolvimento, implantação, operação e evolução dos maiores e mais sofisticados aplicativos de software, redes e sistemas ciberfísicos do mundo.

  • Epic Hypothesis Statement (Declaração da Hipótese de um Épico)

    A Declaração da Hipótese de um Épico captura, organiza e comunica informações essenciais sobre um épico.

  • Epic Owners

    Os Epic Owners são responsáveis pela coordenação dos épicos de portfólio ao longo do sistema Portfolio Kanban. Eles definem colaborativamente o épico, seu produto mínimo viável (MVP) e o plano de negócios Lean e, quando aprovados, facilitam a implementação.

  • Epics (Épico)

    Um épico é um contêiner para uma iniciativa significativa de desenvolvimento de uma solução que captura os investimentos mais substanciais que ocorrem em um portfólio. Devido ao seu escopo e impacto consideráveis, os épicos exigem a definição de um produto mínimo viável (MVP) e a aprovação pelo Lean Portfolio Management (LPM) antes da implementação.

  • Essential SAFe

    O Essential SAFe contém o conjunto mínimo de papéis, eventos e artefatos necessários para entregar continuamente soluções de negócios por meio do Agile Release Train (ART) como um time de times ágeis.

  • Estimating Poker (Poker de Estimativa)

    O Poker de Estimativa é uma técnica de colaboração para estimar relativamente o tamanho de histórias, features e WSJF no SAFe.

  • Extreme Programming (Programação Extrema)

    A Programação Extrema (XP) é um conjunto de práticas de Agile Software Engineering que eleva a qualidade do software e sua capacidade de resposta às mudanças de requisitos dos clientes. Foi inicialmente desenvolvida por Kent Beck.

F

  • Features

    Uma Feature é um serviço que atende às necessidades de um stakeholder. Cada feature é composta por uma hipótese de benefício e critérios de aceitação, e é dimensionada ou dividida conforme necessário para ser entregue por um único Agile Release Train (ART) dentro de um Program Increment (PI).

  • Final Plan Review (Revisão do Plano Final)

    Na atividade de Revisão do Plano Final do PI Planning, os times apresentam os planos finais (Objetivos do PI, carga, riscos) para comunicação ao ART e aceitação pelos Business Owners.

  • Foundation

    O Foundation contém os princípios de suporte, os valores, o mindset, o guia de implementação e os papéis de liderança necessários para entregar valor com êxito em escala.

  • Full SAFe

    Full SAFe é a configuração mais abrangente, incluindo todas as sete competências essenciais necessárias para business agility.

G

  • Gemba

    Gemba é o local onde o trabalho é realizado e onde os times podem observar como os stakeholders executam as etapas e as atividades específicas em suas cadeias de valor operacionais para identificar melhor as oportunidades de melhoria eficiente.

H

  • Hackathon

    Hackathons são eventos de inovação nos quais os membros dos times podem trabalhar naquilo que desejarem e com quem desejarem, desde que o trabalho reflita a missão da empresa e que eles demonstrem seu trabalho para outras pessoas ao final do Hackathon.

I

  • Innovation and Planning Iteration (Iteração Innovation and Planning)

    A iteração Innovation and Planning (IP) ocorre a cada Program Increment (PI) e atende a várias finalidades. Ela atua como um buffer de estimativa para atender os objetivos de PI e provê um período dedicado à inovação, educação continuada, PI Planning e eventos de Inspect and Adapt (I&A).

  • Inspect & Adapt, I&A

    Inspect and Adapt (I&A) é um evento significativo, que ocorre ao final de cada Program Increment (PI) quando o estado atual da solução é demonstrado e avaliado pelo ART. Em seguida, os times refletem e identificam itens de backlog de melhoria por meio de um workshop estruturado de resolução de problemas.

  • Integration Point (Ponto de Integração)

    Um Ponto de Integração cria um "evento de inserção" que insere os vários elementos da solução em um todo integrado que ajuda os stakeholders a garantir que a solução em evolução atenda a necessidades de negócios reais e futuras.

  • Investment Horizons (Horizontes de Investimento)

    Os Horizontes de Investimento realçam alocações de gastos para soluções que são criadas pelas cadeias de valor, que ajudam os proprietários das cadeias de valor e os fiduciários a tomar decisões de investimentos mais informadas. Eles também alinham o portfólio aos temas estratégicos e promovem a saúde geral e o crescimento.

  • Iteration (Iteração)

    As iterações são os blocos de construção de desenvolvimento Agile. Cada iteração é um timebox padrão de duração fixa no qual os times ágeis entregam valor incremental na forma de software e sistemas funcionando e testados. A duração recomendada do timebox é de duas semanas. No entanto, um período de uma a quatro semanas é aceitável, dependendo do contexto de negócios.

  • Iteration Execution (Execução da Iteração)

    A execução da iteração é como os times ágeis gerenciam seu trabalho ao longo do timebox da iteração, resultando em um incremento do sistema de alta qualidade, em funcionamento e testado.

  • Iteration Goals (Metas da Iteração)

    As metas da iteração são resumos de alto nível das metas de negócio e técnicas, as quais o time ágil concorda em cumprir numa iteração. Elas são essenciais para a coordenação de um Agile Release Train (ART) como um time de times auto-organizados e autogerenciados.

  • Iteration Planning (Planejamento da Iteração)

    O planejamento da iteração é um evento no qual todos os membros do time determinam com quanto do Team Backlog eles podem se comprometer a entregar na iteração que está por vir. O time resume o trabalho como um conjunto de metas da iteração comprometidas.

  • Iteration Retrospective (Retrospectiva da Iteração)

    A Retrospectiva da Iteração é um evento regular no qual os membros do Time Ágil discutem os resultados da iteração, revisam suas práticas e identificam formas de melhorar.

  • Iteration Review

    Iteration Review é um evento baseado em cadência, no qual cada time inspeciona o incremento ao final de cada iteração para avaliar o progresso e, então, ajustar seu backlog para a próxima iteração.

K

  • Knowledge Worker (Trabalhador do Conhecimento)

    Os Trabalhadores do Conhecimento são pessoas que têm as habilidades, a experiência e a formação necessárias para solucionar problemas complexos dentro de sua área de competência.

L

  • Large Solution SAFe

    O Large Solution SAFe descreve funções, práticas e orientações adicionais para criar e evoluir os maiores aplicativos, redes e sistemas ciberfísicos do mundo.

  • Lead Time

    Lead Time é o tempo decorrido desde o momento em que o trabalho foi realizado na etapa anterior até que seja realizado na etapa atual.

  • Lean

    Lean é um bloco de conhecimento e um conjunto de práticas que visam aumentar a eficiência e eficácia com a redução de atrasos e a eliminação de atividades que não agregam valor.

  • Lean Budget Guardrails

    Lean Budget Guardrails descreve as políticas e práticas de orçamento, gastos e governança para um portfólio específico.

  • Lean Budgets

    Lean Budgets é uma abordagem Lean-Agile para governança financeira que aumenta a vazão e a produtividade pela redução da sobrecarga e custos associados a contabilização de custos por projetos.

  • Lean Business Case (Caso de Negócio Lean)

    Um Caso de Negócio Lean (LBC) é uma abordagem simples para descrever épicos, incluindo seus MVPs e o valor projetado para os negócios.

  • Lean Governance (Governança Lean)

    Governança Lean é uma dimensão do Lean Portfolio Management que dá suporte à supervisão e à tomada de decisões sobre gastos, auditoria e compliance, previsão de despesas e medição.

  • Lean Portfolio Management

    A competência Lean Portfolio Management alinha estratégia e execução, aplicando abordagens Lean e de pensamento sistêmico ao financiamento de estratégias e investimentos, operações de portfólio ágeis e governança.

  • Lean Quality Management System, QMS (Sistema Lean de Gestão da Qualidade)

    Um Sistema de Gestão da Qualidade (QMS) dita práticas, políticas e procedimentos necessários para confirmar a segurança e a eficácia. As organizações SAFe mudam da governança tradicional para o Lean QMS.

  • Lean User Experience, Lean UX

    Lean User Experience (Lean UX) é um mindset, uma cultura e um processo que engloba métodos Lean-Agile. Ele implementa funcionalidades em incrementos mínimos viáveis e determina o sucesso ao medir os resultados relacionados a uma hipótese de benefício.

  • Lean-Agile Center of Excellence (Centro de Excelência Lean-Agile)

    O Centro de Excelência Lean-Agile (LACE) é um pequeno time de pessoas dedicadas à implementação da forma de trabalho Lean-Agile do SAFe.

  • Lean-Agile Leadership

    A competência Lean-Agile Leadership descreve como líderes lean-agile impulsionam e sustentam a mudança organizacional e a excelência operacional, empoderando indivíduos e times para alcançar seu maior potencial.

  • Lean-Agile Mindset (Mindset Lean-Agile)

    Mindset Lean-Agile é a combinação de crenças, premissas, atitudes e ações dos líderes e praticantes do SAFe que adotam os conceitos do manifesto ágil e do pensamento Lean. É o alicerce pessoal, intelectual e de liderança para a adoção e a aplicação dos princípios e das práticas de SAFe.

  • Lean-Agile Principles (Princípios Lean-Agile)

    O SAFe se baseia em dez princípios Lean-Agile subjacentes e imutáveis. Esses princípios e conceitos econômicos inspiram e informam os papéis e práticas do SAFe.

  • Little's Law (Lei de Little)

    Lei de Little é a lei da teoria do enfileiramento que afirma que o tempo de espera médio pelo serviço de um sistema é igual ao comprimento médio da fila dividido pela taxa média de processamento.

M

  • Measure And Grow

    Measure and Grow é a maneira como os portfólios avaliam seu progresso em direção à business agility e determinam suas próximas etapas de melhoria.

  • Metrics (Métricas)

    Métricas são medidas acordadas usadas para avaliar como a organização está progredindo em relação ao portfólio, à large solution, ao programa e aos objetivos de negócio e técnicos do time.

  • Milestones (Marcos)

    Marcos são usados para acompanhar o progresso em relação a uma meta ou evento específicos. Há três tipos de marcos no SAFe: Marcos de Program Increment (PI), de data fixa e de aprendizagem.

  • Minimum Marketable Feature (Mínima Funcionalidade Comercializável)

    A Mínima Funcionalidade Comercializável (MMF) é a funcionalidade mínima que os times podem criar para saber se a hipótese de benefício da feature é válida ou não.

  • Minimum Viable Product (Mínimo Produto Viável)

    No SAFe, um Mínimo Produto Viável (MVP) é uma versão inicial mínima de um novo produto ou solução de negócios que é utilizada para provar ou refutar a hipótese do épico. Ao contrário dos storyboards, protótipos, mockups, wireframes e outras técnicas exploratórias, o MVP é um produto real utilizado por clientes reais que possibilita um aprendizado baseado em utilização real das funcionalidades.

  • Model-Based Systems Engineering, MBSE

    Model-Based Systems Engineering (MBSE) é a prática de desenvolver um conjunto de modelos de sistemas relacionados que ajudam a definir, projetar e documentar um sistema em desenvolvimento. Estes modelos fornecem uma forma eficiente para explorar, atualizar e comunicar aspectos do sistema para os stakeholders ao reduzir ou eliminar significativamente a dependência em relação a documentos tradicionais.

  • Modified Fibonacci Sequence (Sequência de Fibonacci Modificada)

    Uma Sequência de Fibonacci Modificada (1, 2, 3, 5, 8, 13, 20, 40, 100) é utilizada durante a estimativa relativa para refletir a incerteza inerente à medida que aumenta o tamanho do trabalho sendo estimado.

N

  • Nonfunctional Requirements, NFRs (Requisitos não funcionais)

    Os requisitos não funcionais (NFRs) definem atributos do sistema como segurança, confiabilidade, desempenho, capacidade de manutenção, escalabilidade e usabilidade. Eles atuam como limitações ou restrições em relação ao design do sistema nos diferentes backlogs.

O

  • Objectives and Key Results (Objetivos e Resultados-Chave)

    No SAFe, Objetivos e Resultados-Chave (OKRs) podem ser utilizados para definir, organizar e comunicar informações essenciais sobre um tema estratégico e acompanhar seu progresso por meio de ações concretas, específicas e mensuráveis.

  • Operational Value Streams (Cadeias de Valor operacionais)

    As Cadeias de Valor Operacacionais (CVO) são a sequência de atividades necessárias para entregar um produto ou serviço a um cliente. Os exemplos incluem a fabricação de um produto, o atendimento de um pedido, a admissão e o tratamento de um paciente médico, a concessão de um empréstimo ou a prestação de um serviço profissional.

  • Organizational Agility

    A competência Organizational Agility descreve como as pessoas e times ágeis com pensamento Lean otimizam seus processos de negócios, evoluem estratégias com novos compromissos claros e decisivos e adaptam rapidamente a organização conforme necessário para capitalizar em novas oportunidades.

  • Organizational Change Management (Gestão de Mudanças Organizacionais)

    Gestão de Mudanças Organizacionais é um termo coletivo para todas as abordagens para preparar, apoiar e ajudar pessoas, times e organizações a fazerem mudanças organizacionais.

P

  • Pareto Analysis (Análise de Pareto)

    A Análise de Pareto é uma técnica utilizada durante um evento Inspect & Adapt para limitar o número de ações que produzem o efeito geral mais significativo.

  • Participatory Budgeting (Orçamento Participativo)

    O Orçamento Participativo (OP) é um processo que o Lean Portfolio Management(LPM) usa para alocar o orçamento total do portfólio nas suas cadeias de valor.

  • Personas

    Personas são consumidores e/ou usuários fictícios derivados de pesquisas com clientes que promovem uma abordagem centrada no cliente para o desenvolvimento de produtos.

  • Phase Gate (Marco de Fase)

    Os Marcos de Fase são marcos tradicionais de governança que são substituídos no SAFe por marcos baseados na avaliação objetiva dos sistemas ou da solução criada.

  • PI Objectives

    Program Increment (PI) Objectives são um resumo das metas de negócio e técnicas que um time ágil ou ART pretende alcançar no próximo Program Increment (PI).

  • Plan-Do-Check-Adjust (Planejar-Executar-Checar-Ajustar)

    Planejar-Executar-Checar-Ajustar (PDCA) é um método iterativo em quatro etapas utilizado para controlar a variabilidade e fazer ajustes em resposta ao feedback recebido durante o desenvolvimento de produtos.

  • Portfolio (Portfólio)

    O portfólio SAFe alinha a estratégia à execução por meio de uma coleção de cadeias de valor de desenvolvimento. Operando sob um mesmo modelo de governança, cada cadeia de valor fornece uma ou mais soluções que a empresa precisa para cumprir seu objetivo de negócio.

  • Portfolio Backlog

    O Portfolio Backlog é o backlog de nível mais alto no SAFe. Ele fornece uma área de espera para os próximos épicos de negócios e habilitadores, destinados a criar e desenvolver um conjunto abrangente de soluções.

  • Portfolio Canvas (Canvas de Portfólio)

    O Canvas de Portfólio define as cadeias de valor de desenvolvimento que estão incluídas em um portfólio SAFe, além das propostas de valor e das soluções que elas oferecem, dos clientes que elas atendem, do orçamento alocado a cada uma delas e de outras atividades e eventos fundamentais necessários para concretizar o Portfolio Vision.

  • Portfolio Kanban

    O sistema Portfolio Kanban é um método para visualizar e gerenciar o fluxo dos épicos de portfólio, da concepção à implementação e conclusão.

  • Portfolio SAFe

    O Portfolio SAFe alinha a estratégia à execução e organiza o desenvolvimento de soluções em torno do fluxo de valor por meio de uma ou mais cadeias de valor.

  • Portfolio Vision

    O Portfolio Vision é uma descrição do estado futuro das cadeias de valor e soluções de um portfólio e descreve como eles cooperarão para alcançar os objetivos do portfólio, e o objetivo mais amplo da organização.

  • Pre-and Post-PI Planning

    Os eventos de Pre– and Post–Program Increment (PI) Planning são usados para preparação e acompanhamento posterior dos eventos de PI Planning dos Agile Release Trains (ARTs) e fornecedores em um Solution Train.

  • Problem-Solving Workshop (Workshop de Resolução de Problemas)

    O Workshop de Resolução de Problemas faz parte do evento Inspect & Adapt (I&A) e é uma abordagem estruturada para localizar a causa-raiz de problemas sistêmicos.

  • Product Management

    O Product Management é responsável por definir e apoiar a criação de produtos desejáveis, viáveis, possíveis e sustentáveis que atendam às necessidades do cliente durante o ciclo de vida produto-mercado.

  • Product Owner, PO

    O Product Owner (PO) é um membro do time ágil responsável por definir histórias e priorizar o Team Backlog para simplificar a execução das prioridades do programa, mantendo a integridade conceitual e técnica das Features ou componentes para o time.

  • Product Owner (PO) Sync

    PO Sync é um evento do ART para obter visibilidade sobre a progressão do ART em direção a seus Objetivos do PI, discutir problemas ou oportunidades sobre o desenvolvimento de features, além de avaliação sobre possíveis ajustes de escopo.

  • Program Backlog

    O Program Backlog é a área de armazenamento das Features futuras, que se destinam a atender às necessidades dos usuários e entregar benefícios de negócios para um único Agile Release Train (ART). Ele também inclui os features habilitadoras necessários para compor a Architectural Runway.

  • Program Board

    O Program Board realça as datas de entrega da feature do PI, as dependências entre os times e marcos relevantes.

  • Program Increment, PI

    Um Program Increment (PI) é um timebox no qual um Agile Release Train (ART) entrega valor incremental na forma de software e sistemas funcionando e testados. Geralmente, os PIs têm a duração de oito a doze semanas. O padrão mais comum para um PI é de quatro iterações de desenvolvimento, seguidas por uma iteração Innovation and Planning (IP).

  • Program Increment (PI) Planning

    O Program Increment (PI) Planning é um evento face a face baseado em cadência, atuando como o coração do Agile Release Train (ART) ao alinhar todos os times do ART para uma visão e missão compartilhadas.

  • Program Kanban

    Os sistemas Program e Solution Kanban são métodos para visualizar e gerenciar o fluxo de Features e Capabilities, desde a concepção até a análise, a implementação e o lançamento através do Continuous Delivery Pipeline.

  • Program Predictability Measure

    A Program Predictability Measure resume os valores de negócio planejados em relação aos reais para todos os times do ART e é um indicador-chave do desempenho e da confiabilidade do ART.

  • Program Risks (Riscos de Programa)

    Os Riscos de Programa são identificados pelos times durante o PI Planning e representam riscos e impedimentos que podem impactar a capacidade de atingir os objetivos.

R

  • Refactoring (Refatoração)

    Refatoração é a atividade de melhorar a estrutura interna ou a operação de um código ou componente sem alterar seu comportamento externo.

  • Relative Estimation (Estimativa Relativa)

    A Estimativa Relativa compara trabalhos para estimar rapidamente seu tamanho e valor.

  • Release on Demand

    Release on Demand é o processo que implementa novas funcionalidades em produção e as libera imediatamente ou de modo incremental para os clientes sob demanda.

  • Release Train Engineer, RTE

    O Release Train Engineer (RTE) é o líder servidor e coach do Agile Release Train (ART). As principais responsabilidades do RTE são facilitar os processos e os eventos do ART e auxiliar os times na entrega de valor. Os RTEs se comunicam com os stakeholders, escalam impedimentos, ajudam a gerenciar riscos e impulsionam a melhoria implacável.

  • Relentless Improvement (Melhoria Eficiente)

    Melhoria Eficiente é o quarto pilar do SAFe House of Lean e incentiva a aprendizagem e o crescimento por meio da reflexão contínua e das melhorias de processos.

  • Roadmap

    O Roadmap é uma agenda de eventos e marcos que comunicam entregáveis planejados de solução em um horizonte de planejamento.

  • ROAMing Risks (Endereçamento de Riscos, ROAM)

    O Endereçamento de Riscos (ROAM) é uma atividade do PI Planning na qual os riscos de programa levantados pelos times são abordados em um contexto gerencial mais amplo.

  • Root Cause Analysis (Análise de Causa-Raiz)

    Uma Análise de Causa-Raiz aplica um conjunto de ferramentas de resolução de problemas para identificar as causas reais de um problema como parte do evento Inspect & Adapt.

S

  • SAFe Big Picture, BP (Big Picture do SAFe)

    O Big Picture (BP) do SAFe é uma representação visual dos principais papéis, atividades e artefatos do framework utilizados para acessar artigos do SAFe por meio de seus ícones clicáveis quando visualizados no site scaledagileframework.com.

  • SAFe for Government

    SAFe for Government é um conjunto de padrões de sucesso que ajudam as organizações do setor público a implementar práticas Lean-Agile em um contexto governamental.

  • SAFe for Lean Enterprises

    O SAFe for Lean Enterprises é o principal framework para business agility no mundo. O SAFe integra o poder do Lean, do Ágil e do DevOps a um sistema operacional abrangente que ajuda as organizações a prosperar na era digital com a entrega mais rápida de produtos e serviços inovadores, além de mais previsibilidade e qualidade mais alta.

  • SAFe Implementation Roadmap

    O SAFe Implementation Roadmap consiste em uma visão gráfica e uma série de 12 artigos que descreve uma estratégia e um conjunto ordenado de atividades que se mostraram eficazes em uma implementação SAFe de sucesso.

  • SAFe Lean Startup Cycle

    O SAFe Lean Startup Cycle é um ciclo do tipo criar-medir-aprender altamente iterativo para a inovação de produtos e investimentos estratégicos. Essa estratégia para a implementação de épicos fornece as vantagens econômicas e estratégicas de uma Lean Startup, gerenciando os investimentos e riscos de forma incremental e aproveitando os benefícios de fluxo e visibilidade do SAFe.

  • SAFe Program Consultants, SPCs

    Os Certified SAFe® Program Consultants (SPCs) são agentes de mudança que combinam seu conhecimento técnico do SAFe com uma motivação intrínseca de melhorar os processos de desenvolvimento de software e sistemas da organização. Eles desempenham um papel fundamental em uma implementação SAFe de sucesso. Os SPCs são oriundos de vários papéis internos ou externos, incluindo líderes de negócios e tecnologia, gerentes de portfólio/programa/projeto, líderes de processos, arquitetos, analistas e consultores.

  • Scrum Master

    Scrum Masters são líderes servidores e coaches de um time ágil. Eles ajudam a orientar o time sobre o Scrum, Extreme Programming (XP), Kanban e SAFe, e asseguram que o processo ágil acordado esteja sendo seguido. Eles também ajudam a eliminar impedimentos e a promover um ambiente para o dinamismo de um time de alto desempenho, o fluxo contínuo e à melhoria implacável.

  • Scrum of Scrums

    Scrum of Scrums (SoS) é um evento do ART que ajuda a coordenar as suas dependências e dá visibilidade ao progresso e aos impedimentos.

  • ScrumXP

    ScrumXP é um processo leve para entregar valor por times interfuncionais e auto-organizados no SAFe. Ele combina o poder das práticas de gerenciamento de projetos do Scrum com práticas de Extreme Programming (XP).

  • Set-Based Design

    O Set-Based Design (SBD) é uma prática que mantém os requisitos e as opções de design flexíveis pelo maior tempo possível durante o processo de desenvolvimento. Ao invés de optar por uma única solução antecipadamente, o SBD identifica e explora simultaneamente várias opções, eliminando escolhas menos eficazes ao longo do tempo. Ele aprimora a flexibilidade no processo de design, comprometendo-se com soluções técnicas somente após validar as premissas, o que produz melhores resultados econômicos.

  • Shared Services

    Os Shared Services representam os papéis, as pessoas e os serviços especializados necessários para o sucesso de um Agile Release Train (ART) ou de um Solution Train, mas que não podem ser dedicados em tempo integral.

  • Silos

    Silos são construções organizacionais funcionalmente alinhadas, que promovem otimizações locais, determinam políticas e procedimentos para garantir operações repetíveis e eficientes, sem levar em conta o fluxo de valor mais amplo entre diferentes unidades funcionais.

  • Solution (Solução)

    Cada cadeia de valor produz uma ou mais soluções, que são produtos, serviços ou sistemas entregues ao cliente, sejam internos ou externos à organização.

  • Solution Architect/Engineer

    Solution Architect/Engineering é responsável por definir e comunicar uma visão técnica e arquitetônica compartilhada em um Solution Train, para ajudar a garantir que o sistema ou a solução em desenvolvimento seja adequada ao seu objetivo.

  • Solution Backlog

    O Solution Backlog é a área de armazenamento para as próximas Capabilities e Enablers, sendo que cada uma destas pode abranger vários ARTs e tem como objetivo incrementar a solução e criar sua architectural runway.

  • Solution Context

    O Solution Context identifica aspectos essenciais do ambiente operacional para uma solução. Ele fornece uma compreensão essencial dos requisitos, uso, instalação, operação e suporte da própria solução. O Solution context influencia fortemente as oportunidades e restrições para o lançamento sob demanda.

  • Solution Demo

    A Solution Demo integra os esforços de desenvolvimento de todos os ARTs e fornecedores do Solution Train em todos os PIs e os torna visíveis para clientes e outros stakeholders para fins de avaliação e feedback.

  • Solution Intent

    Solution Intent é o repositório para armazenamento, gestão e comunicação do conhecimento do comportamento atual e pretendido da solução. Onde necessário, isso inclui especificações e designs fixos e variáveis; referência a padrões aplicáveis, modelos de sistema e testes funcionais e não funcionais, e rastreabilidade.

  • Solution Management

    Solution Management é responsável por definir e apoiar a criação de soluções comerciais em larga escala desejáveis, viáveis, possíveis e sustentáveis que atendam às necessidades do cliente ao longo do tempo.

  • Solution Train

    O Solution Train é a estrutura organizacional usada para criar grandes e complexas soluções que exigem a coordenação de vários Agile Release Trains (ARTs), bem como a contribuição de fornecedores. Ela alinha os ARTs com uma missão compartilhada de negócios e tecnologia usando a visão, o backlog, o roadmap da solução e um Program Increment (PI) alinhado.

  • Solution Train Engineer, STE

    O Solution Train Engineer (STE) é um líder servidor e coach do Solution Train, facilitando e orientando o trabalho de todos os ARTs e fornecedores na cadeia de valor.

  • Spanning Palette

    O Spanning Palette contém vários papéis e artefatos que podem ser aplicados a um time específico, programa, large solution ou contexto de portfólio.

  • Spike

    Um Spike é um tipo de história utilizada para iniciar uma exploração, cujo objetivo é a aquisição de conhecimento necessário para reduzir o risco de uma abordagem técnica, compreender melhor um requisito ou aumentar a confiabilidade de uma estimativa de história.

  • Sprint

    Sprint é um termo que vem do método Scrum e é sinônimo do termo Iteração no SAFe.

  • Stories (Histórias)

    Histórias são descrições curtas de uma parte pequena de uma funcionalidade desejada, escritas na voz do usuário. Os times ágeis implementam pequenas fatias verticais de funcionalidade do sistema e estas são dimensionadas de modo que possam ser concluídos em uma única iteração.

  • Story Map

    Um Story Map é uma técnica de Design Thinking que organiza uma sequência de histórias de acordo com as tarefas de que um usuário precisa para atingir seu objetivo.

  • Story Point

    Um Story Point é um número singular utilizado em estimativas relativas e que representa uma combinação de quantidades: volume, complexidade, conhecimento e incerteza.

  • Strategic Themes (Temas Estratégicos)

    Temas Estratégicos são objetivos de negócio diferenciados que conectam um portfólio à estratégia de negócio da organização. Eles influenciam a estratégia do portfólio e fornecem contexto de negócios para a tomada de decisão do portfólio.

  • Sunk Costs (Custos Irrecuperáveis)

    O termo Custos Irrecuperáveis se refere ao dinheiro já gasto e que deve ser ignorado em futuras tomadas de decisões sobre investimentos, uma vez que não há uma forma de recuperá-lo.

  • Supplier (Fornecedor)

    Um fornecedor é uma organização interna ou externa que desenvolve e entrega componentes, subsistemas ou serviços que ajudam os Solution Trains e Agile Release Trains a entregarem soluções a seus clientes.

  • SWOT Analysis (Análise SWOT)

    A Análise SWOT é uma técnica de planejamento estratégico utilizada para identificar pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças relacionadas à situação atual de negócios como parte de um Portfolio Vision do SAFe.

  • System Architect/Engineer

    System Architect/Engineering é responsável por definir e comunicar uma visão técnica e arquitetônica compartilhada para um Agile Release Train (ART), para ajudar a garantir que o sistema ou a solução em desenvolvimento seja adequada ao seu objetivo.

  • System Demo

    A System Demo é um importante evento que fornece uma visão integrada das novas Features da iteração mais recente, entregue por todos os times do Agile Release Train (ART). Cada demo oferece aos stakeholders do ART uma medida objetiva do progresso durante um Program Increment (PI).

  • System Team

    System Team é um time ágil especializado que auxilia na criação e suporte ao ambiente de desenvolvimento ágil, geralmente incluindo o desenvolvimento e manutenção do conjunto de ferramentas que suporta o Continuous Delivery Pipeline. O System Team também pode apoiar à integração dos entregáveis dos times ágeis, desempenhar testes de solução de ponta a ponta quando necessário e auxiliar na implantação e Release on Demand.

  • Systems Thinking (Pensamento Sistêmico)

    O Pensamento Sistêmico adota uma abordagem holística para o desenvolvimento de soluções, incorporando todos os aspectos de um sistema e seu ambiente ao projeto, ao desenvolvimento, à implantação e à manutenção do próprio sistema.

T

  • Team and Technical Agility

    A competência Team and Technical Agility descreve as habilidades, princípios e práticas Lean-agile críticas que times ágeis e os times de times ágeis usam para criar soluções de alta qualidade para seus clientes.

  • Team Backlog

    O Team Backlog contém histórias de usuário e histórias habilitadoras que se originam do Program Backlog, assim como histórias que surgem localmente do contexto local do time. Ele também pode incluir outros itens de trabalho, representando tudo que um time precisa fazer para incrementar sua parte do sistema.

  • Team Kanban

    O Team Kanban é um método que ajuda os times a facilitar o fluxo de valor ao visualizar o fluxo de trabalho, estabelecer limites de Work In Process (WIP), medir a vazão e melhorar continuamente seu processo.

  • Team Topologies (Topologias de Time)

    As Topologias de Time definem quatro tipos de organização que fornecem um modelo claro para definir times ágeis e ARTs.

  • Technical Debt (Débito Técnico)

    O Débito Técnico reflete o custo implícito e o acúmulo de juros do trabalho futuro e é comumente causado pela escolha consciente ou inconsciente de uma solução incompleta ou inferior à ideal.

  • Test-Driven Development (Desenvolvimento Orientado por Testes)

    O Desenvolvimento Orientado por Testes (TDD) é um mindset e uma prática que envolve a criação e execução de testes antes da implementação do código ou de um componente de um sistema.

  • TOWs Analysis (Análise TOWS)

    A Análise TOWS é utilizada em conjunto com uma Análise SWOT para ajudar a identificar opções estratégicas a fim de criar um estado futuro melhor como parte de um Portfolio Vision do SAFe.

U

  • U-curve Optimization (Otimização de Curva U)

    A Otimização de Curva U para o tamanho do pacote de trabalho determina o tamanho ideal desse pacote ao equilibrar os custos de transação e de manutenção.

  • Uncommitted Objectives (Objetivos Não Comprometidos)

    Os Objetivos Não Comprometidos ajudam a melhorar a previsibilidade da entrega de valor para os negócios, uma vez que não estão incluídos no compromisso do time nem atribuídos aos times na medição da previsibilidade do programa. Os times podem aplicar objetivos não comprometidos sempre que houver pouca confiança de que o objetivo será atingido.

V

  • Value (Valor)

    O Valor representa os benefícios que uma empresa oferece a seus clientes e stakeholders e aparece em diferentes contextos no SAFe.

  • Value Stream Coordination (Coordenação de Cadeias de Valor)

    A coordenação de cadeias de valor define como gerenciar dependências e explorar as oportunidades que existem apenas nas interconexões entre cadeias de valor.

  • Value Stream Identification (Identificação de Cadeia de Valor)

    A Identificação de Cadeia de Valor é uma atividade que os portfólios utilizam para identificar as cadeias de valor de desenvolvimento e as cadeias de valor operacionais às quais elas dão suporte.

  • Value Streams KPIs (KPIs de Cadeia de Valor)

    Os Key Performance Indicators (KPIs) de cadeia de valor são as medidas quantificáveis usadas para avaliar o desempenho de uma cadeia de valor em relação aos resultados de negócios previstos.

  • Value Stream Mapping (Mapeamento de Cadeia de Valor)

    O Mapeamento de Cadeia de Valor é uma ferramenta essencial para melhorar o fluxo de valor em todo o Continuous Delivery Pipeline, fornecendo a visibilidade necessária para identificar gargalos e áreas problemáticas no fluxo que causam atrasos.

  • Value Streams (Cadeias de Valor)

    Cadeias de valor representam uma série de etapas que uma organização segue para implementar soluções que fornecem um fluxo contínuo de valor para um cliente.

  • Velocity (Velocidade)

    A Velocidade é igual à soma dos pontos de todas as histórias concluídas que atenderam à Definição de Pronto (DoD).

  • Vision (Visão)

    A visão é uma descrição do estado futuro da solução em desenvolvimento. Ela reflete as necessidades do cliente e stakeholders, bem como as Features e Capabilities propostos para atender a essas necessidades.

W

  • Weighted Shortest Job First, WSJF

    Weighted Shortest Job First (WSJF) é um modelo de priorização usado para sequenciar trabalhos (por ex., Features, Capabilities e épicos) para gerar o máximo benefício econômico. No SAFe, o WSJF é estimado pelo Cost of Delay (CoD) dividido pelo tamanho do trabalho.

  • Work in Process (Trabalho em Andamento)

    O Trabalho em Andamento (WIP) representa um trabalho parcialmente concluído. O excesso de WIP atrapalha as prioridades, causa mudanças frequentes de contexto e aumenta a sobrecarga.

5

  • 5 Whys (5 Porquês)

    Os 5 Porquês são uma técnica comprovada de resolução de problemas utilizada para explorar os relacionamentos de causa e efeito de um problema em particular como parte do Inspect & Adapt.

© 2021 Scaled Agile, Inc. All rights reserved.